Home » Fase preliminar (2017-2019)

Foco

A nossa pesquisa tem como foco os contextos da conviviality na América Latina e no Caribe, examinados através da história de sua constituição e de suas interdependências locais, regionais, nacionais e globais. Os contextos conviviais não precisam ser espacialmente fixos, podendo corresponder a um bairro, um município, um país ou a espaços globais ou transnacionais de natureza translocal ou virtual. Do ponto de vista analítico, Mecila pesquisa os contextos da conviviality a partir de três dimensões interdependentes:

Estruturas – Moldando a conviviality

A primeira dimensão envolve analisar de maneira teórico-analítica as estruturas relevantes que constituem e configuram a conviviality, além de investigar exemplos ilustrativos de contextos conviviais, incluindo não apenas estruturas sociais, legais, políticas e marcos institucionais, mas também espaços físicos e “infraestruturas” nas quais as interações ocorram. O desenho e a arquitetura do espaço urbano, o acesso desigual aos recursos naturais e à proteção contra os riscos, o controle de territórios, a violência, as estruturas legais bem como as configurações específicas de conhecimento, por exemplo, têm efeitos imediatos nas formas de conviver.

Negociações – Articulando a conviviality

A segunda dimensão examina os processos de disputa, negociação e regulação do convívio em diversas esferas, incluindo o espaço público, as arenas políticas e jurídicas e as interações cotidianas, em seus diferentes níveis: local, nacional, internacional e também os entrelaçamentos entre estes diferentes níveis. Assim, esta dimensão se dedica a estudar como as sociedades discutem questões relevantes, como pertencimento simbólico, participação política, distribuição de recursos e riscos, direitos para grupos nacionais, minorias, estrangeiros, etc. em fóruns tão diversos quanto a mídia, as instituições políticas, os movimentos sociais e as conferências acadêmicas.

Representações – Imaginando a conviviality

A terceira dimensão estuda as formas heterogêneas, muitas vezes conflitivas, através das quais os indivíduos e grupos sociais representam o convívio em seus respectivos espaços sociais. Imaginar a conviviality envolve olhar atentamente para as expressões discursivas (míticas, culturais, literárias e outras) e as expressões não discursivas (ícones, cultura material, etc.) a fim de investigar as reflexões e conceitos sobre o conviver em contextos históricos e contemporâneos específicos. As/os pesquisadoras/es também examinarão como diferentes formas e práticas de conhecimento constituem, fundamentam e afetam o convívio e como o conhecimento é produzido, traduzido e transformado através dos contextos conviviais. Dessa forma, Mecila também irá fornecer um espaço para reflexões sobre como o conhecimento constitui, ao mesmo tempo que é constituído através de, interações e interdependências entre atores sociais entre si, bem como com entidades não humanas, incluindo artefatos, livros, commodities, plantas e animais.

Abordagem Epistemológica

Mecila é um fórum inovador para a produção transnacional de conhecimento, caracterizado por uma cooperação simétrica entre instituições e pesquisadoras/es de diferentes países, culturas acadêmicas, disciplinas e estágios de carreira. Isto implica uma reflexão sobre o próprio papel do Centro em promover o intercâmbio e a coprodução transnacional menos assimétrica do conhecimento científico. Para atingir esse objetivo, nos orientamos por três diretrizes epistemológicas:

Transferência / Tradução

A transferência e a tradução envolvem a análise de tensões históricas e contemporâneas, transformações e negociações inerentes aos processos de circulação de conhecimentos, ideias, normas, bem como práticas e suas respectivas dimensões materiais.

Posicionamento / Multiperspectividade

Como todo o conhecimento é situado – sendo, portanto, não universal – é necessário refletir sobre os múltiplos locais da produção de conhecimento e a posição de cada um deles no campo das redes de poder dentro da academia e fora dela.

Transregionalidade

A ênfase aqui está tanto na comparação – no sentido de compreender as interações e interpenetrações passadas e presentes entre a América Latina, a Europa e outras regiões do mundo ­– quanto na promoção da circulação internacional de conhecimentos e experiências.