Home » Pesquisa » Programa de Pesquisa

O Centro

O Mecila é um dentre cinco centros internacionais de estudos avançados em humanidades e ciências sociais financiado pelo Ministério Alemão de Educação e Pesquisa (BMBF) em cooperação com instituições locais. Os centros Maria Sibylla Merian buscam desenvolver pesquisas inovadoras através da cooperação interdisciplinar e horizontal entre acadêmicas e acadêmicos da Alemanha, dos países que sediam os centros e de outras regiões do mundo.

O consórcio acadêmico que constitui o Mecila é formado por três instituições alemãs:  Freie Universität Berlin (coordenção), Universität zu Köln, Ibero-Amerikanisches Institut (Stiftung Preußischer Kulturbesitz); e quatro latino-americanas: Universidade de São Paulo, Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, El Colegio de México, e Instituto de Investigaciones en Humanidades y Ciencias Sociales (Conicet / Universidad Nacional de La Plata).

Tendo sua sede em São Paulo, as atividades do Mecila ocorrem em todas as sete instituições do consórcio, assim como em outras instituições com as quais realizam-se projetos conjuntos.

O Centro é dirigido pelo Conselho Executivo, que conta com representantes de todas as instituições-membro, um representante dos Pesquisadores de Pós-Doutorado, além do/a Coordenador/a Científico/a. A cada ano o Conselho Executivo elege quatro diretores (dois da Alemanha e dois da América Latina) para conduzir o Centro. Dois desses diretores permanecem em São Paulo durante seus mandatos, enquanto os demais conduzem o Centro a partir de suas próprias instituições.

Um Comitê de Ética e um Conselho Consultivo internacional, formado de acadêmicas e acadêmicos de destaque, além de representantes da sociedade civil acompanham de perto as atividades do Centro a fim de garantir a excelência científica e relevância social de suas atividades de pesquisa e de difusão pública. Buscam também assegurar a transparência, equilíbrio de gênero e equidade interseccional em todos os processos seletivos do Centro.

Programa de Pesquisa (2020-2026)

O Mecila pesquisa a constituição mútua das relações de convivialidade e de desigualdade a partir de uma perspectiva histórica e interdisciplinar. O Centro, portanto, estuda os processos de negociação, legitimação e transformação de hierarquias existentes tal como estas se apresentam nas interações cotidianas e no âmbito institucional. Os contextos legais, econômicos, ambientais e políticos em que essas interações ocorrem, bem como suas representações (p. ex. em textos literários, mídias de massa, objetos de arte e cultura popular) também possuem relevância central.

De acordo com nossa perspectiva relacional e interdependente, postulamos, em primeiro lugar, que atores sociais se constituem através das relações sociais e não tem uma existência anterior a estas; em segundo, que estruturas e interações são formadas mutuamente. Assim, nossos pontos de partida são as configurações conviviais nas quais a conexão entre convivialidade, diferença e desigualdade está inscrita. Configurações conviviais pode se referir tanto a relações entre humanos como a laços de interdependência entre humanos e não-humanos, abrangendo animais, plantas, espíritos e artefatos. Tomadas a partir de uma perspectiva diacrônica, as configurações conviviais são afetadas por transformações diárias e por momentos de inflexão, ocasionados seja pelo acúmulo de pequenas mudanças (renegociações de relações cotidianas) ou por rupturas mais profundas, como desastres, revoluções e golpes de estado. Para identificar etapas distintas (anteriores ou posteriores a tais inflexões) no interior de uma configuração convivial, utilizamos o termo regimes de convivialidade.

O Centro tem interesse tanto em discussões teóricas como em estudos empíricos e está aberto a todos os métodos e materiais relevantes para as humanidades e ciências sociais, incluindo, entre outros, dados quantitativos e qualitativos, arquivos, textos literários, objetos artísticos, coleções acústicas e iconográficas, cartografias e conteúdos de mídias sociais. Acadêmicas e acadêmicos de quaisquer disciplinas do amplo campo das humanidades e das ciências sociais podem potencialmente participar das atividades do Centro. O único requisito é o interesse no nexo entre convivialidade e desigualdade e o engajamento no diálogo interdisciplinar em amplo sentido.

O Centro tem um compromisso com a pesquisa de excelência e com a produção, disseminação e troca de conhecimento relevante para a transformação social orientada ao fortalecimento da democracia, a mitigar as assimetrias sociais e de poder e a promover relações sustentáveis entre seres humanos e natureza.

As pesquisadoras e pesquisadores do Mecila estão distribuídos entre as seguintes Áreas de Pesquisa interdisciplinares de acordo com seus temas de investigação:

  1. Histórias e estórias da Convivialidade: Esta área de pesquisa reúne projetos com enfoque nas dimensões históricas e narrativas do nexo entre convivialidade e desigualdade. As questões norteadoras incluem investigações a respeito de como as configurações e regimes conviviais do passado e do presente são tecidos através do entrelaçamento de histórias diversas. Assim, aspectos jurídicos e socioeconômicos possuem um papel central nesta Área de Pesquisa, dada sua importância em manter ou transformar um determinado regime convivial.
  2. Medialidades da Convivialidade: O foco desta área de pesquisa reside em processos de coprodução e circulação do conhecimento e de representações ligadas ao nexo entre convivialidade e desigualdade. Isso inclui tanto os fluxos imateriais de ideias, valores e imaginários como também suas práticas e materializações. Escrita, gravura, fotografia, coleções e exposições oferecem pistas importantes para o estudo de como noções de convivialidade – a exemplo de utopias ou passados místicos – se manifestaram em objetos produzidos e que circularam em contextos conviviais marcados pela desigualdade. O papel das novas mídias também é de grande interesse para esta Área.
  3. Políticas da convivialidade: Esta Área de Pesquisa engloba projetos com foco na negociação de diferenças e desigualdades da vida cotidiana e no âmbito das instituições. As questões centrais aqui dizem respeito às práticas cotidianas e institucionais que reforçam ou diminuem padrões de desigualdade presentes nas configurações conviviais. Esta Área também estuda como os diversos agentes – incluindo movimentos sociais, governos, acadêmicos, migrantes, entre outros – promovem ou desafiam as desigualdades vigentes.

Instrumentos e Formatos

Concebido como uma rede de pesquisa transnacional, o Mecila congrega as pesquisas e atividades de difusão conduzidas por um grupo de 18 Pesquisadoras/es Principais e três Pesquisadoras/es de Pós-Doutorado, baseadas/os nas instituições do consórcio além de outras/os 14 Pesquisadoras/es Associadas/os de instituições diversas. A cada ano, diversos outros pesquisadores serão convocados através de editais públicos para o Centro a fim de desenvolverem suas próprias pesquisas ou participarem de atividades específicas.

A fim de assegurar o intercâmbio regular e simétrico entre acadêmicas e acadêmicos, o Mecila realiza um encontro anual de seus membros e convidados, um workshop regular e colóquios semanais em sua sede em São Paulo. A fim de estimular o intercâmbio com produtoras e produtores de conhecimento não acadêmicos e discutir seus resultados de pesquisa com um público mais amplo, o Mecila também promove workshops conjunto a sociedade civil e movimentos sociais representativos, além de organizar conferências públicas, palestras e workshops no âmbito local.

Os resultados preliminares das pesquisas do Centro são publicados regularmente na série de Working Papers do Mecila (de acesso é gratuito e aberto), e também em boletins informativos, no Blog do Mecila, em uma série de Podcasts, entrevistas e artigos de opinião. Resultados consolidados de pesquisa são publicados em livro, volumes editados e em artigos e dossiês em periódicos destacados. Recomendações de políticas públicas são publicadas em boletins específicos (policy papers).

A cada ano o Centro oferecerá as seguintes bolsas:

  1. Cinco bolsas para Pesquisadores Experientes (Senior Fellows) e quatro para Jovens Pesquisadores (Junior Fellows):

Candidatas e candidatos às bolsas de Pesquisador Experiente são acadêmicos de destaque e com carreira estabelecida, enquanto candidatas e candidatos às bolsas de Jovem Pesquisador são pesquisadores de excelência em início de carreira, e que tenham obtido sua titulação de doutorado em humanidades ou ciências sociais há não mais do que cinco anos contados da data de inscrição para as bolsas.

As bolsas para Pesquisadores Experientes e Jovens compreendem estadias de março a novembro (exceto em 2020, quando serão de maio a novembro) na sede do Mecila em São Paulo, e envolvem a participação em ao menos uma atividade para palestra ou atividade similar no Colegio de México, Cidade do México, e/ou no instituto de Investigaciones em Humanidades y Ciencias Sociales em La Plata, Argentina.

Espera-se que as Pesquisadoras e Pesquisadores Experientes e Jovens desenvolvam seus próprios projetos de pesquisa no campo da convivialidade-desigualdade e que participem dos diálogos interdisciplinares nos colóquios semanais e em outros eventos e atividades relevantes. Também se espera que contribuam com ao menos um artigo para a série de Working Papers do Mecila e uma atividade de divulgação pública (entrevista, publicação no blog do Mecila, vídeo, palestra pública, artigo com recomendação de políticas públicas, etc.).

As pesquisadoras e pesquisadores são recrutados através de chamadas abertas internacionais, voltadas a todos os países e a todas as disciplinas das humanidades e ciências sociais. Os principais critérios de seleção são a qualidade do perfil de pesquisa da candidata ou candidato e do projeto de pesquisa, bem como sua contribuição geral para o Mecila. As candidaturas para as bolsas de Pesquisadores Experientes e Jovens, depois de triagem formal, são submetidas a pareceres de especialistas da área. As decisões finais são de responsabilidade do Conselho Executivo em consulta com o Conselho Assessor e o Comitê de Ética.

  1. Dois Grupos de Pesquisa Temáticos:

Anualmente, o Mecila oferece a dois Grupos de Pesquisa Temáticos a oportunidade de passar dez semanas em São Paulo para desenvolver trabalhos sobre o tema de enfoque do Centro escolhido para cada ano. O tema de 2020 será “Conservadorismos”.

Cada Grupo de Pesquisa Temático é composto de quatro pesquisadoras e pesquisadores com doutorado, de preferência, em diferentes estágios da carreira. Ao menos um membro de cada grupo deve ser afiliado a uma das instituições do consórcio. Espera-se que os grupos contribuam com ao menos um artigo para a série de Working Papers do Mecila, participem ativamente das atividades do Centro e se envolvam no intercâmbio interdisciplinar.

Os Grupos de Pesquisa Temáticos são escolhidos através de chamadas internacionais e as candidaturas são submetidas a pareceres de especialistas da área. As decisões finais são de responsabilidade do Conselho Executivo, em consulta ao Conselho Assessor e ao Comitê de Ética. Em razão do projeto ter início após o primeiro trimestre de 2020, neste ano apenas um Grupo de Pesquisa Temático será estabelecido.

  1. Seis Bolsas para Doutorandos

As candidatas e candidatos devem ser estudantes de doutorado matriculados em uma das instituições do consórcio e com interesse em passar um semestre acadêmico (de março a julho ou de julho a novembro) na sede do Mecila em São Paulo. As Pesquisadoras e Pesquisadores de Doutorado devem participar ativamente das atividades do Centro e se envolver no intercâmbio interdisciplinar. Espera-se que, durante sua estadia no Centro, produzam trabalhos de relevância para a tese em desenvolvimento (como a finalização de ao menos um capítulo da tese ou a coleta de dados de campo relevantes).

As Pesquisadoras e Pesquisadores de Doutorado serão escolhidos através de chamadas abertas amplamente distribuídas nas instituições do consórcio. O desempenho acadêmico e a coerência temática do projeto de doutorado em relação ao programa de pesquisa do Mecila são critérios-chave para a seleção. As decisões relativas ao processo seletivo são de competência do Conselho Executivo através de processo transparente de avaliação.

  1. Cátedra Mecila

A Cátedra Mecila será destinada a uma acadêmica ou acadêmico de uma das quatro instituições latino-americanas do consórcio para estadias de pesquisa de dez semanas em uma destas instituições. A Cátedra Mecila será rotativa ao longo do ano entre as instituições, de acordo com o seguinte cronograma preliminar:

1 de fevereiro a 15 de abril: USP

16 de abril a 30 de junho: IdIHCS

1 de agosto a 15 de outubro: CEBRAP

16 de outubro a 31 de dezembro: COLMEX

Espera-se que as e os ocupantes da Cátedra Mecila deem ao menos uma palestra pública na instituição onde estiverem sediados e que ali se envolvam no diálogo interdisciplinar sobre temas vinculados à agenda de pesquisa do Mecila.

As e os ocupantes da Cátedra Mecila serão selecionados de acordo com a excelência de seus perfis acadêmicos e a adequação de seus planos de pesquisa para o período de dez semanas. As decisões relativas ao processo seletivo são tomadas pelo Conselho Executivo no âmbito de um processo transparente de avaliação. Em razão do projeto ter início já após o primeiro trimestre de 2020, a Cátedra Mecila compreenderá, em 2020, estadias de 7 semanas, de acordo com o seguinte calendário

1 de maio a 20 de junho: USP

21 de junho a 15 de agosto: IdIHCS

16 de agosto a 7 de outubro: CEBRAP

8 de outubro a 30 de novembro: COLMEX

  1. Estadias curtas

Acadêmicas e acadêmicos de destaque serão convidados para permanências curtas (de até duas semanas) a fim de desenvolverem atividades de cooperação específicas com outras pesquisadoras e pesquisadores do Mecila em uma das sete instituições parceiras. Uma vez que esta bolsa em particular dá apoio a projetos de pesquisa em andamento, apenas Pesquisadoras e Pesquisadores do Mecila poderão sugerir nomes de colegas para as estadias curtas. As decisões relativas ao processo seletivo são de competência do Conselho Executivo através de um processo transparente de decisão.

  1. Bolsas recíprocas

Valendo-se de seus próprios fundos, a FU Berlin e a Universität zu Köln oferecem bolsas de pesquisa para acadêmicas e acadêmicos da América Latina por um período de até dois meses em Berlim e Colônia, onde as selecionadas e selecionados desenvolverão atividades relacionadas ao programa de pesquisa do Mecila. Devido ao caráter institucional do financiamento das bolsas recíprocas, as decisões a respeito de sua concessão são de competência das Pesquisadoras e Pesquisadores Principais das respectivas instituições através de um processo transparente de decisão.

A página em espanhol estará disponível em breve.