Home » Pesquisadoras/es de pós-doutorado visitantes

MecilaIntrodColl

Pesquisadoras/es de pós-doutorado visitantes

2020

José Ricardo Castellón

Doutor em História pela Universidad Pablo de Olavide em Sevilha, Espanha (2013), e doutor em Filosofia (História) pela UzK (2018). Ele trabalha com palestras, desenvolvendo programas de estudo e como consultor de comunicação e design. Como ex-bolsista do DAAD, ele é membro e secretário da Academia Salvadoreña de Historia e conferencista e pesquisador convidado no Historisches Institut da UzK desde 2018.

Sua pesquisa se concentra em temas como migração (Prêmio UNICEF 2008), família e mobilidade na América Central e a história social geral da América Latina. Ele também trabalha com cultura e celebrações gastronômicas, vida cotidiana e cultura material.

Disciplina principal: História

Publicações selecionadas:
Castellón, José Ricardo (2019): Secretos de familia. La familia y su movilidad en El Salvador colonial, El Salvador: UCA Editores.
Castellón, José Ricardo (2014): Fiestas, vida y comida en el interior del reino de Guatemala: San Salvador y Sonsonate, siglo XVIII , San Salvador: Universidad Don Bosco.
Castellón, José Ricardo (2018): “Movilidad y familia en el Pacífico Centroamericano. San Salvador y Sonsonate en el siglo XVIII”, in: Cuadernos Inter.c.a.mbio sobre Centroamérica y el Caribe, 15, 1.
Castellón, José Ricardo; Méndez de Castellón, Georgina Magali (2018): “Haciendo memoria. Construir desde el olvido en El Salvador 25 años después de la firma de los acuerdos de paz“, in: Martínez, Carmen González (ed.), Transiciones políticas contemporáneas: singularidades nacionales de un fenómeno global, Fondo de Cultura Económica de España.

Clemente Penna

Obteve o doutorado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 2019, com uma bolsa de estudos do Center for the Study of Slavery and Justice da Brown University (USA). Também é mestre em História Cultural pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), obtido em 2005, e bacharel em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), em 2001.

Foi professor assistente no departamento de educação eletrônica da UFSC de 2001 a 2005 e, nos últimos anos, lecionou História no programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) na cidade de Palhoça, Santa Catarina.

Disciplina principal: História

Publicações selecionadas:
Penna, Clemente (2020): “Penhoras judiciais, crédito e propriedade escrava na cidade do Rio de Janeiro, c. 1820 –1860”, in: Filho, Henrique Espada Lima and Júnior, Waldomiro Silva, Escravidão e liberdade no Brasil oitocentista: novos olhares. Florianópolis, EDUFSC.
Penna, Clemente (2019): “Economias urbanas: capital, créditos e escravidão na cidade do Rio de Janeiro, c. 1820-1860”, PhD thesis, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil.
Penna, Clemente (2019): “Judicial Attachments and the Internal Slave Trade in Brazil, 1830- 1888“, in: Enslaved: Peoples of the Historic Slave Trade, East Lansing; Michigan.
Penna, Clemente (2018): “Slave Property and the Credit Market in Rio de Janeiro, 1830- 1850”, in: 6th Southern Hemisphere Economic History Summer School, Montevidéu.

Juliana Streva

Doutora em Direitos Humanos pela FU Berlin, é mestre em Teoria do Estado e Direito Constitucional pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC Rio). Ela recebeu uma bolsa de estudos para pesquisadores visitantes da Brown University e da Ha-Universita ha-Ivrit bi-Yerushalayim (Israel).

Seu crítico trabalho interdisciplinar está particularmente comprometido com a interação da corporeidade, estruturas coloniais de violência (abrangendo política, direito, economia, ecologia, ontologia e epistemologia), feminismos interseccionais e insurreições periféricas. Seus trabalhos mais recentes incluem o documentário experimental Women in movement (2020), a contribuição para os livros Corporeidades afrodiaspóricas (2020), Materializing feminism (2019) e o livro Corpo, raça, poder (2018).

Disciplina principal: Direito

Publicações selecionadas:
Streva, Juliana (2020): “Corp(o)ralidade fanoniana: legado colonial & insurgências anti-racistas”, in: Tavares, Julio Cesar de Souza (ed.), Corporalidades afrodiaspóricas, Curitiba: Appris Editora.
Streva, Juliana (2018): Corpo, raça, poder: extermínio negro no Brasil. uma leitura crítica, decolonial e foucaultiana, Rio de Janeiro: Multifoco.
Streva, Juliana (2018): “Identitätspolitik postkolonial: Zur Debatte um Identitätspolitik in Lateinamerika”, in: Beier, Friederike (ed.), Materializing Feminism. Positionierungen zu Ökonomie, Staat und Identität, Münster: Unrast Verlag.
Streva, Juliana (2017): “A multidão no corpo e a multidão de corpos: um embate dos conceitos de povo e multidão, e consenso e dissenso à luz dos escritos de Hobbes e Spinoza”, in: Becker, Rafael (ed.), Spinoza e nós. Volume: Spinoza, a guerra e a paz, Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio.

Léa Tosold

Mestre em Literatura, Filosofia e Ciência Política (Universität Wien), mestre em Filosofia Política (University of York) e doutora em Ciência Política (USP). Foi co-fundadora do Grupo de Estudos de Gênero e Política (Gepô-USP), é membro do Grupo Interdisciplinar de Raça e Política (GIRA) e pesquisadora da Grupo de pesquisa: Nexos (Universidade Federal do ABC) e do Grupo de Estudos em Teoria Política (Getepol/Universidade Estadual de Londrina).

Seu principal interesse é nas epistemologias feministas anti-racistas. Atualmente, ela trabalha com política da memória e suas conexões globais-locais através de etnografias íntimas e territorialidades coletivas.

Disciplina principal: Ciência Política

Publicações selecionadas:
Tosold, Léa (2018): Autodeterminação em três movimentos: a politização de diferenças sob a perspectiva da (des)naturalização da violência, PhD Thesis, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brazil.
Tosold, Léa (2017): “Rompendo com a violência institucionalizada: reflexões sobre o corpo enquanto locus analítico”, in: Machado, Carlos; Marques, Danusa; Tavares, Francisco Mata Machado; Trindade, Thiago (eds.), Democracia e desigualdade:
registros críticos, Brasília: Zouk.
Tosold, Léa (2016): “Incluir diferenças (re)produzindo desigualdades? Os limites da democracia deliberativa habermasiana através de um olhar crítico sobre a obra de Iris Marion Young”, in: Pinzani, Alessandro; Schmidt, Rainer (eds.), Um pensamento interdisciplinar: ensaios sobre Habermas, 1, Florianópolis: Nefiponline.
Tosold, Léa (2012): “Do problema do essencialismo a outra maneira de fazer política”, in: Biroli, Flávia; Miguel, Luis Felipe (eds.), Teoria política e feminismo: abordagens brasileiras, 1, Vinhedo: Editora Horizonte, 1-290.