Mecila

Doutorandos

2022

Aline Correa

Mestre em sociologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF), especialista em epistemologias do sul pelo Conselho Latino Americano de Ciências Sociais (CLACSO) e doutoranda em estudos regionais latino-americanos pela UzK. Suas principais áreas de interesse são racialização, gênero e suas intersecções com concepções temporais em contextos de formação nacional na América Latina. Em seu projeto atual para o Mecila se concentra nas áreas de sociologia e história. Abordando a família como um arranjo convivial, seu trabalho se dedica ao processo de instrumentalização do núcleo familiar na transição para o período republicano, focando na idealização do papel feminino e na vinculação da prole ao futuro da nação, buscando evidenciar e discutir como concepções temporais atravessam as relações de gênero racializadas no país.

Arturo Ríos

Historiador pela Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), é doutorando no COLMEX e membro do grupo internacional Atarraya – História Política e Social Ibero-Americana. Tem interesse em história da construção dos regimes democráticos no século XIX, processos eleitorais, movimentos peticionários, circulação de informação e a relação entre história social e história das linguagens políticas. O projeto de pesquisa que desenvolve atualmente explora a expansão do fenômeno peticionário no México durante o século XIX e os desafios colocados pela prática peticionária – considerada por alguns contemporâneos uma ferramenta de democracia pura – aos governos representativos. Nesse sentido, investiga a relação entre petições populares e apelações do povo, práticas que antecederam os plebiscitos e consultas públicas dos nossos dias.

Clara Cuevas

Doutoranda em história pelo Centro de Estudos Históricos do COLMEX e mestra em história pela UFPR (Universidade Federal do Paraná). Sua tese de doutorado intitulada “Un poco de sangre: la mercantilización de la sangre en México, 1940 a 1987” examina as dimensões políticas, sociais e econômicas em torno à venda de sangue no México, desde a institucionalização dos bancos de sangue até a crise da AIDS. Foi pesquisadora do projeto “Urban Palisades: Technology in the Making of Santa Fe, Mexico City”, da Fundação Andrew W. Mellon, com foco nas tecnologias da desigualdade na Cidade do México. É membra da Red-LIESS, Laboratorio Iberoamericano para el Estudio Sociohistórico de las Sexualidades da Universidade Pablo de Olavide e do grupo História da Ciência, Tecnologia e Medicina na América Latina do Consórcio para a História da Ciência, Tecnologia e Medicina. É historiadora do corpo e da tecnologia.

Camila de Oro

Licenciada em letras pela UNLP, é doutoranda bolsista do CONICET no programa Estudos Sociais Interdisciplinares da Europa e América Latina (UNLP e Universidade de Rostock). Escreveu sua tese de licenciatura sobre a coletânea Los Poetas da editora Claridad. No momento dedica-se a sua tese de doutorado sobre a população de cultura alemã na Argentina, a partir da mediação da editora Claridad e de Alejandro Korn. Suas linhas de pesquisa são a literatura popular impressa, a história do livro e da edição, e a história das ideias.

Juan Recchia Paez

Mestre em Literatura Latino-americana pela UNSAM (Universidade Nacional de San Martín), também é licenciado em Cultura Brasileira pela UDESA (Universidade de San Andrés). Ele é professor de Literatura na UNLP onde leciona Literatura Latino-Americana I na Faculdade de Humanidades e Ciências da Educação. Recebeu diversas bolsas de estudo e realizou intercâmbios, estágios e projetos de pesquisa no Brasil, Alemanha, Cuba e Paraguai. Recentemente recebeu uma menção honrosa no X Prêmio Internacional “Dr. Leopoldo Zea” pela melhor tese de pós-graduação sobre América Latina ou Caribe (CIALC-UNAM). Ele trabalha como diretor da revista Transas, letras y artes de América Latina da UNSAM e como gerente cultural na Fábrica Cultural “En Eso Estamos”, localizada em La Plata.

Otávio Weinhardt

Doutorando em direito na USP, com mestrado em Direito e História. Seus principais campos de interesse são a história jurídica e social, e seus estudos referem-se principalmente às complexidades da vida urbana nas cidades brasileiras entre o final do século XIX e a década de 1920. No Mecila, seu projeto é estudar a regulamentação dos espaços urbanos através da legislação municipal, e outras expressões normativas, comparando as cidades de São Paulo, Curitiba, e Belém.