Home » Pesquisadoras/es » Pesquisadoras/es visitantes

Researchers_SFs_editada

Pesquisadoras/es visitantes

2020

Yves Cohen

Yves Cohen é professor (directeur d’études) na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS). Foi pesquisador visitante no Centro de Estudos Europeus da Harvard University entre 2018 e 2019 e em várias universidades brasileiras, tais como a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Seu trabalho focou inicialmente no estudo histórico e analítico de práticas. Atualmente, seus temas de pesquisa são a história e o estado atual das práticas de influência (publicidade, marketing, propaganda, relações públicas, comunicação, notícias falsas, etc.) e o estudo comparativo da horizontalidade na vida social e nos movimentos sociais.

Disciplina principal: História

Publicações selecionadas:
Cohen, Yves; Chateauraynaud, Francis (2016): Histoires Pragmatiques, Paris, Éditions de l’EHESS.
Cohen, Yves (2016): “Qui a encore besoin du charisme? Ou vers une histoire politique des sens”, in: Sensibilités. Histoire, critique & sciences sociales, 1.
Cohen, Yves (2013): Le Siècle des Chefs. Une histoire transnationale du commandement et de l’autorité (1890-1940), Paris: Ed. Amsterdam.
Cohen, Yves (2010): “Circulatory Localities: The Example of Stalinism in the 1930s”, in: Kritika: Explorations in Russian and Eurasian History, 11, 1. (translation by Stephanie Lin)

Susana Durão

Susana Durão é professora adjunta de antropologia na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Foi pesquisadora visitante no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e no programa de verão em ciências sociais do Instituto de Estudos Avançados da Princeton University. Coordenou o projeto de pesquisa internacional “Policing and Urban Imaginaries: New Security Formats in Southern Cities” (2015-2019). Durão obteve financiamento do Instituto de Estudos Avançados de Princeton, da Fundação para a Ciência e Tecnologia em Portugal, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações do Brasil. Recebeu da Unicamp o prêmio “Dedicação ao Ensino de Graduação” em 1999.

Suas áreas de interesse são segurança pública e privada, segurança-hospitalidade, violência urbana, trabalho policial e desigualdade, estudos sobre pluralidade policial e treinamento policial, seguindo uma perspectiva etnográfica urbana. Ela realizou trabalhos de campo em Portugal, no Brasil e em países Africanos de língua portuguesa.

Disciplina principal: Antropologia

Publicações selecionadas:
Durão, Susana (2020): “Bolsonaro’s Brazil and the Police Fetish”, in: Hot Spots, Fieldsights, January 28.
Durão, Susana (2017): “Detention: Police Discretion Revisited”, in: Fassin, Didier (ed.), Writing the World of Policing. The Difference Ethnography Makes, London & Chicago: Chicago University Press.
Durão, Susana (2016): “Brazilian Police: Cultural and Spriritual Battles”, in: The Funambulist – Special Issue: Police of Space and Bodies, 8.
Durão, Susana (2016): Esquadra de Polícia. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Encarnación Gutiérrez Rodríguez*

*Aprovação pendente

Professora de Sociologia Geral da Justus-Liebig-Universität Gießen. Estudou Sociologia, Ciências Políticas e Filologia Românica. Ela recebeu o “Augsburger Wissenschaftspreis für interkulturelle Studien” da Universität Augsburg. Foi professora sênior da University of Manchester (Reino Unido) e professora assistente na Universität Hamburg (Alemanha).

Ela foi professora acadêmica e convidada da University of Alberta (Canadá), University of London (Reino Unido), do Five College Women’s Studies Research Centre (EUA), da University of Albuquerque (EUA) e da University of California, Santa Cruz (EUA). Ela é professora associada da University of Alberta e professora visitante da Nelson Mandela University (África do Sul). Em termos gerais, seu trabalho trata de trabalho afetivo, violência estrutural nas políticas de controle migratório da UE e racismo institucional.

Disciplina principal: Sociologia

Publicações selecionadas:
Gutiérrez Rodríguez, Encarnación (2018): “Antifeminism and Racism in Times of  usterity”, in: Winkel, Heidemarie and Tuzcu, Pinar (eds.), Women’s Studies International Forum, 68, 139-141.
Gutiérrez Rodríguez, Encarnación (2018): “Care Work – International Perspectives and Reflections”, in: Aulenbacher, Brigitte; Liebig, Brigitte (eds.), Österreichische Zeitschrift für Soziologie, 1.
Gutiérrez Rodríguez, Encarnación; Anne Tate, Shirley (eds.)(2015): Creolizing Europe. Legacies and Transformations, Liverpool: Liverpool University Press.
Gutiérrez Rodríguez, Encarnación (2010): Migration, Domestic Work and Affect. New York: Routledge.

Gregory Fernando Pappas

Gregory Fernando Pappas é professor de Filosofia da Texas A & M University. Em 2018 foi premiado como Distinguished Research Fellow da Latino Research Initiative na Universidade do Texas, em Austin. Seu trabalho se concentra na filosofia latino-americana e nas tradições pragmáticas da ética e da filosofia sócio-política.

Ele recebeu a bolsa de Pós-Doutorado da Ford Foundation e foi agraciado com os Prêmios “William James” e “Latin American Thought” pela American Philosophical Association, recebeu também o “Mellow Prize” da Society for the Advancement of American Philosophy (SAAP). Ele é editor-chefe do The Inter-American Journal of Philosophy. Ele foi bolsista Fulbright na Argentina e presidente da SAAP.

Disciplina principal: Filosofia

Publicações selecionadas:
Pappas, Gregory Fernando (2018): “What is Going On? Where Do We Go from Here? Should the Souls of White Folks Be Saved?”, in: The Pluralists, 13, 1.
Pappas, Gregory Fernando (2017): “The Limitations and Dangers of Decolonial Philosophies: Lessons from Zapatista Luis Villoro”, in: Radical Philosophy Review, 20, 2.
Pappas, Gregory Fernando (2017): “Zapatismo, Luis Villoro, and American Pragmatism on Democracy, Power, and Injustice”, in: The Pluralists, 12, 1.

Seth Racusen

Doutor em Ciência Política pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), Seth Racusen é professor associado de Ciência Política e Justiça Criminal do Anna Maria College (USA). Anteriormente, foi professor visitante do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e bolsista do Instituto Dubois da Harvard University. Ele recebeu bolsas de estudo da American Political Science Association, da Fulbright Commission e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro.

Seu trabalho é uma fonte reconhecida sobre as leis brasileiras de discriminação racial e ações afirmativas. Seus interesses de pesquisa incluem ideologia nacional brasileira, identidade racial, racismo, cidadania cotidiana e resistência, justiça transicional e racismos comparativos.

Disciplina principal: Ciências Políticas

Publicações selecionadas:
Racusen, Seth (2019): “On the Jurisprudence of Workplace Discrimination”, in: Revista do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal do Ceará, 39, 1.
Racusen, Seth (2016): “Kabengele Munanga”, in: Jr., Henry Louis Gates; Knight, Franklin K. (eds.), Dictionary of Caribbean and Afro-Latin American Biography, Oxford: Oxford University Press.
Racusen, Seth (2013): “The Ideology of the Brazilian Nation and the Brazilian Legal Theory of Racial Discrimination”, in: Harris, Angela P. (ed.), Race and Equality Law, Routledge.
Racusen, Seth (2012): “The Grammar of Color Identity in Brazil”, in: Reiter, Bernd and Eison, Kimberly (eds.), Re-Examining the Black Atlantic: Afro-Descendants and Development, Michigan: Michigan State University Press.

2019

Daniel Cefaï

Daniel Cefaï é Doutor em Antropologia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) onde hoje atua como professor. Além de trabalhos no campo da sociologia dos espaços públicos e mobilizações, tem papel importante na introdução do pragmatismo norte-americano e da Escola de Chicago no debate intelectual da França.  Também possui contribuição destacada a respeito da discussão teórica e metodológica sobre etnografia no Brasil, com interlocução especial com o Núcleo de Etnografias Urbanas do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap). Obras de autores reconhecidos possuem suas traduções para o francês realizadas pelo professor Cefaï, como Clifford Geertz, George Herbert Mead e Erving Goffmann.

No Mecila o Prof. Cefaï desenvolveu uma pesquisa no campo da história das ideias a partir das lentes do pragmatismo, buscando o surgimento do conceito de pluralismo nos Estados Unidos. Seu interesse reside em compreender os diferentes sentidos – cultural, racial e político – do pluralismo, ao passo em que observa o contexto de sua ascensão e as consequências e controvérsias advindas deste conceito.

Disciplina principal: Antropologia

Áreas de pesquisa:
Sociologia do espaço público, das mobilizações coletivas e dos problemas públicos
Etnografia de associações e ONGs
Metodologia da pesquisa de campo
Fenomenologia e Ciências Sociais
História das Ciências Sociais nos Estados Unidos

Publicações selecionadas:
Cefaï ,Daniel; Terzi, Cédric (eds.) (2012): L’Expérience des problèmes publics, Paris: Éditions de l’EHESS, (collection Raisons Pratiques, 22).
Cefaï, Daniel; Berger, Mathieu; Gayet-Viaud, Carole (eds.) (2011): Du civil au politique. Ethnographies du vivre ensemble, Bruxelles: Peter Lang.
Cefaï, Daniel; Mello, Marco Antônio da Silva; Berocan, Felipe; Veiga, Felipe, Mota, Fábio Reis (eds.) (2011): Arenas públicas. Por uma etnografia da vida associativa, Niterói-Rio de Janeiro: EdUFF.
Cefaï, Daniel; Gardella, Édouard (2011): L’Urgence sociale en action. Ethnographie du Samusocial de Paris, Paris: La Découverte, (Collection Recherches).
Cefaï Daniel (2007): Pourquoi se mobilise-t-on ? Théories de l’action collective, Paris: La Découverte, (Collection Recherches).
Cefaï, Daniel (2003): L’Enquête de terrain, Paris: La Découverte, (Collection Recherches).

Raquel Gil Montero

Possui doutorado em Historia pela Universidad Nacional de Córdoba, Argentina. É pesquisadora independente do CONICET no Instituto de Historia Argentina y Americana (Universidad de Buenos Aires). Obteve bolsas de pesquisas de instituições diversas, como a Fundação John Simon Guggenheim, María Elena Cassiet Fellowship, Associação National Geographic, Tyssen, Fundações Alexander von Humboldt e Gerda Henkel e do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD).

É diretora do periódico Población & Sociedad desde 2009 e vice-presidente da Asociación Argentina de Investigadores en Historia. Foi e é parte de diversas instituições  e grupos internacionais, como o  Panel Científico de Demografía Histórica da União Internacional para o Estudo Científico de Populações (IUSSP) e o Global Collaboratory on the History of Labour Relations 1500-2000 (Amsterdam).

Disciplina principal: História

Áreas de pesquisa:
Mundo do trabalho colonial
História da mineração
História das populações indígenas das atuais Bolívia e norte da Argentina entre os séculos 16 e 19

Publicações selecionadas:
Gil Montero, Raquel (2018): “Entre el trabajo libre y forzado: los yanaconas rurales de Charcas (Bolivia) en el siglo XVII”, in: Colonial Latin American Review, 27, 3.
Gil Montero, Raquel (2018): “Migración y minería en el corregimiento de Carangas (actual Bolivia), siglo XVII”, in: Jahrbuch für Geschichte Lateinamerikas, 55.
Gil Montero, Raquel (2017): “Regional Impact of Mining Activity during Colonial Times in the Highlands of Southern Bolivia”, in: International Journal of Historical Archaeology, 21 (2).
Gil Montero, Raquel (2015): Ciudades efímeras. El ciclo minero de la plata en Lípez (Bolivia), siglos XVI-XIX, La Paz: IFEA – PLURAL.

Gabriel Kessler

Gabriel Kessler é Doutor em Sociologia pela École des hautes études en sciences sociales (EHESS), Paris. é Professor na Universidad Nacional de La Plata (UNLP), Argentina e pesquisador do CONICET . Recebeu o prêmio Konex em Sociologia por sua trajetória na década de 2004-2015. Seu campo de pesquisa contempla a questão social, a desigualdade e a violência. Entre seus livros encontram-se “La Nueva Pobreza en la Argentina” (con A. Minujin), “La Experiencia escolar fragmentada”; “Sociología del delito amateur”, “Neoliberalism and National Imagination (con A. Grimson), “El sentimiento de Inseguridad. Sociología del temor al delito, Individuación, precariedad y riesgo (con R. Castel), “Controversias sobre la desigualdad” e “Muertes que Importan. Una mirada sociohistórica sobre los casos que marcaron la Argentina reciente”.

No Mecila o Prof. Kessler desenvolveu uma pesquisa a respeito das relações microssociais na Argentina em comparação com a América Latina e o Sul Global. Neste âmbito, abordou temas como as diferenças das redes pessoais de acordo com os grupos sociais; a compreensão do conceito de capital social; e as formas de sociabilidade em que não estão envolvidos nem capital nem troca.

Disciplina principal: Sociologia

Principais áreas de pesquisa:
Mudanças na estrutura social da América Latina
Reações sociopolíticas

Publicações selecionadas:
Gayol, Sandra; Kessler, Gabriel (2018): Muertes que Importan. Una mirada sociohistórica sobre los casos que marcaron la Argentina reciente, Buenos Aires: Siglo XXI editores.
Kessler, Gabriel (ed.) (2016): La Sociedad Argentina Hoy. Radiografía de una nueva estructura, Buenos Aires: Siglo XXI editores.
Kessler, Gabriel (2016): “Ideas y acciones en un contexto de cambio constante”, in: Faur, Eleonor (eds.), Repensar la inclusión social, Buenos Aires: Capital Intelectual, 49 – 62.
Kessler, Gabriel; Núñez, Pedro (2017): “La jeunesse rurale en Amérique latine”, in: Problemes d’Amerique Latine, 105, 43 – 56.

Alejandra Mailhe

A Dra. Alejandra Mailhe é pesquisadora do CONICET e professora de graduação e pós-graduação na área de “Historia das ideias sociais da Argentina e América Latina” na Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación da Universidad Nacional de La Plata, Argentina. Realizou seus estudos de pós-doutorado na Universidade Federal Fluminense (Rio de Janeiro) e na Universidad Nacional Autónoma de México (México D.F.). Entre outros reconhecimentos, recebeu o primeiro lugar no Prêmio pela Trajetória Científica, concedido em 2010 pela Universidade Nacional de La Plata em 2010. Entre outras instituições, é membro do Instituto de Investigaciones en Humanidades y Ciencias sociales (UNLP / CONICET).

Suas pesquisas estão centradas nas concepções que os intelectuais projetam sobre as culturas populares, na Argentina e na América Latina, entre o fim do século 19 e a década de 1950.

Disciplina principal: História

Áreas de pesquisa:
História das ideias sociais da Argentina e América Latina na primeira metade do século 20
Estudos latino-americanos comparados: Argentina/Brasil/México/Perú
Indigenismos e afroamericanismos
Historia da antropologia latinoamericana
Mudanças de paradigma epistemológico: do positivismo ao culturalismo
Tensões estéticas ao redor da ascensão das vanguardas

Publicações selecionadas:
Mailhe, Alejandra (2019): “Tópicos discursivos y debates en torno al alcance del concepto de ‘autonomía’ en la Reforma Universitaria”, in: Cuadernos Americanos, México: Segunda época, CIALC, UNAM.
Mailhe, Alejandra (2018): “La colección ‘Humanior’ y la formación de un lectorado americanista” en Prismas, Bernal: UNQ, 22.
Mailhe, Alejandra (2018): “El mestizaje indo-hispánico en la educación estética de las masas”, in: Estudios del ISHIR, Rosario: UNR/CONICET, 22.
Mailhe, Alejandra (2017): “Ricardo Rojas: viaje al interior, la cultura popular y el inconsciente”, in: Anclajes, La Pampa: Universidad Nacional de La Pampa, 21.
Mailhe, Alejandra (2017): “Archivos de psiquiatría y criminología (1902-1912): concepciones del sujeto femenino y de la alteridad social“, in: Colección digital “Biblioteca Orbis Tertius”, La Plata, FAHCE, UNLP.

João Reis

É Professor Titular do Departamento de História da Universidade Federal da Bahia. Foi professor visitante nas universidades de Michigan (Ann Arbor), Princeton, Brandeis, Texas (Austin), Harvard e na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) . Foi também pesquisador visitante em diversas instituições: Universidade de Londres, Center for Advanced Studies in the Behavioral Sciences (Stanford), National Humanities Center (Carolina do Norte-EUA), Harvard University, Humboldt Universität (Berlim), entre outros. É Membro Honorário Estrangeiro Vitalício da American Historical Association (Associação Histórica Americana). Foi em diversas ocasiões membro do Comitê Assessor de História do CNPq, do qual é Pesquisador do nível mais alto (1A). Entre seus prêmios e distinções recebeu em 2014 o Prêmio Conjunto de Obras da Academia de Letras da Bahia e em 2017, o Prêmio Machado de Assis pelo Conjunto de Obras da Academia Brasileira de Letras.

No Mecila o Prof. Reis trabalhou sobre o tema de escravos que possuíam escravos na Salvador do século 19.  Neste ínterim, buscou analisar quais circunstâncias permitiram a mobilidade social destes escravos a ponto de se tornarem mestres.

Disciplina principal: História

Áreas de pesquisa:
História do Brasil Império e História Atlântica
História social e cultural da África, da escravidão e do tráfico
Resistência escrava
Movimentos sociais
Atitudes diante da morte.

Publicações selecionadas:
Reis, João (2019): Ganhadores: a greve negra de 1857 na Bahia, São Paulo: Companhia das Letras.
Reis, João (2015): Divining Slavery and Freedom: The Story of Domingos Sodré, an African Priest in Nineteenth-Century Brazil, New York: Cambridge University Press.
Reis, João; Gomes, Flavio dos Santos ; Carvalho, Marcus (2010): O alufá Rufino: tráfico, escravidão e liberdade no Atlântico negro (c. 1823 – c. 1853), São Paulo: Companhia das Letras.
Reis, João (2008): Domingos Sodré, um sacerdote africano: escravidão, liberdade e candomblé na Bahia do século XIX, São Paulo: Companhia das Letras.
Reis, João (2003): Death is a Festival: Funeral Rites and Rebellion in Nineteenth-Century Brazil, North Carolina University Press.
Reis, João (2003): Rebelião Escrava no Brasil: A História do Levante dos Malês em 1835 (Edição revista e ampliada), São Paulo: Companhia das Letras.